Novos caminhos

Esse blog entra de férias. No mês que vem retomamos as atividades. Deixo com vocês o trabalho de Nick Bertke (aka Pogo). Seu projeto “World Remix” tem como objetivo percorrer os pontos turísticos do mundo para capturar sons, vozes e acordes, e usá-los para compor e gravar canções e vídeos de culturas diversas. Butão foi um dos destinos visitados pelo artista.

Realidade filtrada

Recentemente, o All Things Digital fez uma análise comparativa do Socialcam, Mobli e Viddy, aplicativos para celular que querem fazer pelo vídeo o que o Instagram fez pelas fotos.

Lembra a obra da cineasta Ry Russo-Young, que produz filmes utilizando diversos formatos de vídeo. Abaixo, trailer de um de seus filmes, You Wont Miss Me. Em seguida, uma entrevista com a diretora.

O que dados podem e não podem fazer

Dados não são reflexos perfeitos do mundo. Os dados não falam por si. Interpretar dados não é algo fácil. O especialista Jonathan Gray desmistifica o tema para jornalistas que querem trabalhar com dados e hackers que procuram desenvolver projetos cívicos. Leitura crítica do que é peneirado e melhor estratégia ao extrair informações são preceitos básicos.

Imagem via Flickr The IBM Curiosity Shop

O horário nobre das mídias sociais

Qual o melhor horário para publicar mensagens nas mídias sociais? O Bitly, um dos encurtadores de links mais populares, entrega. O meio da tarde (de 15h a 17h) é o momento ideal no Twitter e no Facebook. Já o Tumblr esquenta quando a noite chega (21h). Em termos internacionais, o padrão é esse.

Em relação ao Facebook, cabe um adendo: cada mensagem postada por lá atinge apenas 16% dos contatos.