Tecnologia e o trabalho

“Antigamente, você trabalhava durante o dia e, no máximo, levava um bolo de papel para ler em casa. Hoje o trabalho invade a vida pessoal de forma muito natural”

Agenor Castro, diretor de marketing do Yahoo! Brasil. A declaração revela um fato curioso: geralmente há pesquisas mostrando o uso de ferramentas no trabalho como algo dispersivo (webmails, redes sociais etc.)

Por outro lado, não são comumente divulgadas linhas de estudo sobre o trabalho que fazemos fora da nossa atividade profissional (em casa, nos momentos de lazer etc.). Ou seja, a pessoa não se “desliga” nunca (se ela permitir isso). E antes se sonhava que a tecnologia tornaria tudo mais automatizado, tornando o trabalho menos fatigante…

Antes, as pessoas deixavam o trabalho no escritório. Com as novas tecnologias, levam para todos os lugares. Por vezes, é quase uma afronta não atender o celular nos horários mais insólitos.

Entretanto, para o jornalista Tiago Doria, alguns usuários que tem uma vivência maior de internet estão aprendendo a equilibrar melhor sua presença online. “Não ficam tanto tempo conectadas no Twitter, não caem tanto no fetiche da velocidade da comunicação, têm uma presença digital importante, porém mais discreta e equilibrada”, defendeu.

Segundo o escritor Alain de Botton, que está lançando o livro Os Prazeres e Desprazeres do Trabalho, “O capitalismo moderno sugere que os seres humanos são apenas commodities, mercadorias que se pega e pelas quais se paga um preço. Mas há uma grande diferença entre pessoas e algodão ou petróleo. As pessoas podem cometer suicídio. Você contrata uma pessoa inteira, não apenas um cérebro ou um braço. Isso precisa ser reconhecido pelos capitalistas.”

Felicidade. Há vagas?

Para ele, apenas uma parcela das pessoas é feliz no trabalho. Isso me fez lembrar uma edição do programa do Alternativa Saúde, do GNT, em que um convidado provocava: “você pode gostar do que faz, mas você faz o que gosta?

O papo é longo. De toda forma, pesquisas indicam que os mais felizes no trabalho são aqueles que fazem algo com prazer e profissões que se ajuda o outro.

Voltando ao começo do texto. Para quem não sabe proceder nessas situações, a Folha publicou algumas regras de etiqueta no uso de celulares e smartphones.

Veja também
Qual a postura que um jornalista deve adotar nas mídias sociais?
7 passos para você fazer o que ama (e ser pago por isso) [dica do jornalista Denison Caldeira]
Folha cria regras para seus jornalistas no Twitter
TV Globo restringe uso de blogs,Twitter e outras redes sociais

About these ads

Uma resposta em “Tecnologia e o trabalho

  1. Pingback: Criatividade e trabalho « Charles Cadé

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s