Crime e tecnologia

“Muitas vezes o criminoso conhece bem sua vítima, vai executar o golpe sabendo sabendo informações que encontrou facilmente na internet. É a velha engenharia social”

José Mariano de Araújo Filho, Delegado do Departamento de Investigações sobre Crime Organizado (Deic), da Polícia Civil de São Paulo, na revista InfoExame de julho, que analisa a tecnologia do crise. Para ele, é perigoso expor informações pessoais na web, em blogs e redes sociais. Segundo Araújo, surge um novo tipo de criminoso, o ladrão 2.0.

A tecnologia, em muitos casos, é neutra. O que difere é o seu uso. Criminosos, por exemplo, optam por usar VoIP -transmissão de dados via internet, como conversas online – ao invés de celular, visto que os dados são criptografados. Ou seja, são mais difíceis de interceptar, ao contrário de um telefone, que pode ser grampeado.

O Google Earth também é utilizado pelos criminosos. Ele é usado para mapear eventuais falhas de segurança nos condomínios.

Celulares (helicópteros e pombos correios já foram utilizados para levar telefones móveis para os presídios), chupa-cabras (equipamentos que memorizam as informações de cartões de crédito) e pequenas câmeras coladas perto dos caixas eletrônicos (até mesmo em suporte de panfletos) são outras táticas utilizadas.

About these ads

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s